A noite que Susana Vieira me livrou do Mengão

       SUSANA VIEIRA     

                               

Amigos, uma das grandes estrelas da nossa televisão se chama Susana Vieira. Quando dizemos estrela, no caso dela, não apenas no aspecto artístico, mas pela sua personalidade também. Então, para começar bem uma caminhada, ela seria o nome ideal para ser uma das primeiras entrevistadas do caderno de TV lançado pelo Meia Hora, o Se Liga, meu novo desafio. Na verdade, Susana foi a segunda capa, depois da Ivete, que como entrevistei por e-mail nem considero. Vai que nem foi ela quem respondeu. Nesse mundo de hoje, tudo é possível.  Chegar até Susana foi fácil. A assessora, Danielly Tavares, super solícita. E em uma semana já havia chegado o dia do papo.
Marcamos num shopping, cheguei bem mais cedo, me concentrei e fiquei esperando a diva(palavra viada da moda, mas que cabe a ela). Foram quase três horas de espera e uma certeza: vai ser uma merda, ela vai chegar cheia de pose, com pressa e daquele jeito Branca de ser.
Eis que surge Susana Vieira, usando um vestido cheio de brilhos, com um sapato altíssimo que a transforma em gigante, falando com todo mundo do shopping. De cara, assusta. Resolvemos fazer as fotos antes e eu ainda achando que depois de tanto tempo ela ia me dar 10 minutos de respostas monossilábicas e meter o pé. O ensaio fotográfico no meio do shopping durou mais de uma hora, interrompido por selfies com fãs e muitas gargalhadas. O tempo e a disponibilidade de Susana, sempre preocupada com os detalhes da foto, o carinho com os fãs, tudo já havia me deixado mais confiante. Pelo menos ela não era esse bicho papão que pintam.
Depois de quase cinco horas da minha chegada ao local, enfim sentei frente a frente com Susana Vieira. E ali, num simpático café, conversamos por mais umas duas horas sobre tudo. Não houve veto a uma só pergunta, até porque eu não fui com a intenção de causar polêmica. No tempo em que batemos um papo maravilhoso ela se mostrou com a personalidade que todo mundo conhece, mas de uma doçura e despida de máscaras que não conhecia. Susana é estrela. Não tem como questionar isso. Mas ela é tão competente e se entrega tanto ao que faz, que o seu trabalho é que se destaca quando ela começa a conversar. E não tem como não admirar a entrega e orgulho que ela tem dele. Os olhos brilham quando fala da carreira. É lindo e emocionante de ver.
Naquela noite, o Flamengo jogava pela Libertadores sua partida mais importante. Eu tinha ingresso, estava de folga, o papo entrou pela hora do jogo e, pasmem, eu nem percebi. No fim do papo, feliz com o resultado da conversa e se dizendo fã do jornal, Susana até gravou um vídeo falando que queria ser colunista do Meia Hora.
Encerramos o papo, fiz questão de tietar a estrela e fui embora. Não sem antes passar num bar onde passava o jogo, já em seus minutos finais, onde o Flamengo fazia vergonha em pleno Maracanã. Mas graças a Susana Vieira, naquela noite eu dormi muito mais feliz do que a Nação Rubro-Negra.


Comentários

Postagens mais visitadas